Quanto você precisa faturar para cobrir os custos de escritório?

Se a resposta que veio à sua mente foi “Ora, para pagar os custos de escritório, eu preciso receber o mesmo valor!”, você está...



Se a resposta que veio à sua mente foi “Ora, para pagar os custos de escritório, eu preciso receber o mesmo valor!”, você está absoluta e redondamente ENGANADO!

Esta é a “conta de padeiro” mais comum e perigosa entre os empresários. Achar que para pagar um real (ou mil reais, ou a quantia que o for) de despesa você precisa receber o mesmo um real pode simplesmente destruir o seu negócio!

Neste artigo você vai entender o porquê!

Você sabe o que é o Ponto de Equilíbrio?

Ponto de Equilíbrio é o mínimo que sua empresa precisa faturar para pagar todas as contas. Ou seja, é a quantia de dinheiro que tem que entrar na sua empresa para que não falte grana – mas também não sobre.

Assim, você pode calcular o Ponto de Equilíbrio para o seu negócio como um todo, considerando toda sua estrutura, mas também pode fazer o cálculo para gastos específicos.

Por exemplo: quanto meu vendedor precisa gerar de dinheiro apenas para pagar o salário dele? Quanto preciso faturar a mais para bancar um aumento de aluguel? E assim por diante…

Como calcular o Ponto de Equilíbrio do seu negócio

O Ponto de Equilíbrio (PE) é calculado por meio de uma fórmula matemática.

Fórmula para cálculo do Ponto de Equilíbrio

Para calcular o PE você precisa saber dois números do seu negócio: as Despesas Fixas e o Percentual da Margem de Contribuição.

Como diria Jack, vamos por partes:

Despesa Fixa

Os gastos fixos do negócio são aqueles que estão atrelados a sua estrutura. Vão desde tarifas bancárias até salários, passando por luz, água, telefone, aluguel, contabilidade, softwares, pro-labore, etc.

Muita gente faz confusão na hora de entender o que é uma despesa fixa e um custo variável. Neste vídeo de 4,5 min eu explico a diferença entre custos variáveis e despesas fixas.

Atenção! Na hora de levantar os gastos fixos, lembre-se de fazer uma proporção dos gastos sazonais (IPTU, 13º, férias, etc.) e também de considerar os investimentos em marketing, treinamentos e outros.

Margem de Contribuição

A Margem de Contribuição é o quanto sobra das suas vendas para pagar as despesas fixas e gerar lucro. Em outras palavras, é o valor das vendas menos os Custos Variáveis.

Então, basicamente você pega os valor das suas vendas e subtrai dos impostos sobre nota fiscal, comissões de venda, fornecedores (para produtos), terceirizados (para serviços), taxas de cartão e outros custos variáveis que existam.

Exemplificando para ficar mais claro:

Vamos supor que temos um negócio de arquitetura. O cálculo da Margem de Contribuição ficaria desta forma (números hipotéticos, é claro):

 

Tabela de cálculo da margem de contribuição

Neste exemplo, dos R$ 20 mil de faturamento, sobram R$ 13.800. Estes R$ 13.800 representam 69% do faturamento (basta dividir o valor da margem pelo faturamento).

Entendido os conceitos de Despesa Fixa e Margem de Contribuição, fica fácil de fazer o cálculo.

Fazendo o cálculo do PE

A fórmula de cálculo do Ponto de Equilíbrio é:

Fórmula para cálculo do Ponto de Equilíbrio

Para o exemplo do arquiteto acima, imaginemos que ele tem uma Despesa Fixa de R$ 9.000 mensais. Agora basta pegar a calculadora, lembrar dos tempos de escola e fazer o cálculo:

Cálculo do Ponto de Equilíbrio

O Ponto de Equilíbrio desta empresa de arquitetura é de pouco mais de R$ 13 mil por mês.  Ou seja, para pagar toda sua estrutura, precisa entrar no mínimo 13 mil dinheiros apenas para ficar no zero a zero

Mas, afinal, quanto eu tenho que faturar para cobrir cada real de custos de escritório?

Esta é a pergunta inicial deste artigo. Agora que você sabe como calcular o Ponto de Equilíbrio do seu negócio, basta você aplicar a mesma lógica para calcular os seus custos de escritório.

Imagine que dos R$ 9 mil reais de despesa fixa, o arquiteto gaste R$ 1.800,00 por mês com aluguel e demais taxas.

Isso significa que APENAS PARA PAGAR O ALUGUEL ele precisa faturar R$ 2.608,00:

Cálculo de Ponto de Equilíbrio

Talvez para você não pareça tanto, porém, se considerarmos isso anualmente, representa uma necessidade de faturamento de R$ 31.304,00 ao ano.

Apenas para pagar o aluguel!

E pode piorar!

O Cadu de Castro Alves, aqui da Deskovery, criou uma planilha de custos de escritório. No exemplo dele, ele simulou um escritório com um custo inicial de R$ 20 mil.

Isto significa que, no exemplo do arquiteto, ele precisaria faturar quase R$ 29 mil apenas para montar o escritório!

Oh yeah, ainda pode piorar!

(por isso que as pessoas não gostam de finanças, parece que sempre tem um cenário pior =p)

No exemplo acima, consideramos um arquiteto com uma margem de contribuição de 69%, certo?

Porém, muitos negócios possuem margens menores do que esta. Uma empresa, por exemplo, que tenha uma Margem de 50% (a cada 100 reais de vendas, cinquentão são custos variáveis), precisaria ter um faturamento de R$ 40 mil para montar o mesmo escritório que custa R$ 20 mil!

Mas também pode melhorar!

(aqui não é só desgraça não!)

Ao entender e aplicar este conceito aqui você já está à frente de grande parte da concorrência que faz apenas contas de padeiro.

Assim, você precisa buscar constantemente formas de otimizar sua estrutura e seus custos.

O ponto final é: não caia na ilusão de que para pagar um real de despesa você precisa faturar somente um real. A conta não é tão simples.

Por essas e outras que nós da 4blue apoiamos modelos de negócios baseados em espaços de coworking! 😉

Grande abraço e fico à sua disposição!

Escrito por Renan Kaminski

Renan KaminskiRenan Kaminski é sócio-fundador da 4blue, empresa especialista em gestão financeira para pequenas empresas. Você pode contatá-lo no LinkedIn e ler outros artigos no blog da 4blue.

* * *